Imprimir  Fechar Janela
Autor: SILVA, Marilu de Meneses et al.
Titulo: Degradação de área de proteção ambiental da floresta do Jacarandá, no município de Teresópolis, estado do Rio de Janeiro, Brasil: um estudo de caso.
Publicação: In: ENCUENTRO DE GEOGRAFOS DE AMERICA LATINA, 8., 2001, Santiago. Resumenes... Santiago: Universidad de Chile, 2001.     

Resumo: Núcleo de Estudos Integrados Ambientais/Núcleo de Estudos e Pesquisas em Geoquímica Ambiental / Departamento de Mineralogia e Petrologia Ígnea / Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, Brasil A APA da Floresta do Jacarandá constitui a única área continua remanescente da Mata Atlântica na Bacia do Rio das Bengalas, no Município de Teresópolis, na Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro. Ela possui particular significado já que engloba as nascentes da Bacia em questão. Em função das atividades humanas observou-se um processo contínuo de sua degradação. Para aferição da intensidade da ação antrópica, foram mapeadas as direções dessas pressões e realizadas análises físico-químicas, químicas e microbiológicas das águas, tendo em vista a sua importância como mananciais. A metodologia utilizada compreendeu a interpretação de fotografias aéreas dos anos 66, 77 e 94, campanhas de campo, trabalhos laboratoriais, aplicação e interpretação de questionários Os resultados mostraram que através da evolução histórica de ocupação da APA observada a partir dos dados obtidos e da análise dos mapas de antropismo, mostraram duas áreas sob pressão de invasão, sendo a primeira nos limites W-NW da Reserva, que faz fronteira com a favela existente no eixo rodoviário BR-116 e a segunda área de pressão nos limites N, onde ocorre a expansão das atividades agrícolas e turísticas. Dentre os parâmetros físicos, químicos e microbiológicos analisados observou-se apenas a contaminação por coliformes fecais, mostrando um problema sobre a potabilidade das águas que só devem ser consumidas após tratamento. Isto retrata um conflito latente na APA, se por um lado há necessidade de sua preservação, por outro, ela sofre as pressões provenientes da agricultura, do turismo e da favelização. ( Auxílio Financeiro: FAPERJ - Proc. E-11/170.140/92)



Fechar Janela